Seg, 11 de Dezembro de 2006 00:14

Os apuros do casamento - Baixa auto-estima

Escrito por  ROBERTO DE ALBUQUERQUE CEZAR
Dar nota para esse item
(0 votos)

Provavelmente você está tão cansado quanto eu dos inúmeros livros sobre auto-estima que estão no mercado...

 

BAIXA AUTO-ESTIMA

  

Provavelmente você está tão cansado quanto eu dos inúmeros livros sobre auto-estima que estão no mercado. Chega a tal ponto que você se sente anormal por não ter uma baixa auto-estima, para, em seguida, acredito, você poder sentir-se angustiado por ser anormal.

 

Não permita, porém, que a febre da auto-estima o impeça de enxergar a simples verdade da questão: pessoas saudáveis dispõem de uma auto-imagem saudável. Não são os “reis do mundo”, nem a “escória da terra”. São talentosas e prósperas; são falíveis, mas perdoadas; são humildes; mas esperançosas. São criaturas; foram redimidas e revestidas de poder.

 

Uma auto-imagem saudável é especialmente importante no casamento, porque ele se fortalece nas duas pessoas. Vocês podem ajudar um ao outro a manter um bom equilíbrio da autocompreensão de cada um ou podem desequilibrar-se mutuamente de maneira perigosa.

 Já vi muitos casos em que uma pessoa com baixa auto-estima parecia buscar um parceiro que reforçasse sua imagem negativa. Pode parecer loucura, mas temos de admitir: o ser humano nem sempre é racional.

 

Por exemplo, já aconselhei muitas mulheres que passaram dos maus-tratos do pai para os do marido. Escolheram maridos que as tratassem como elas acabaram acreditando que mereciam ser tratadas. Casaram-se com homens que eram exatamente como “o querido papai”, só que o papai não era tão querido assim. A pessoa com baixa auto-estima pode ser demasiadamente submissa e complacente, porém, como já dissemos, o casamento funciona melhor quando é compreendido como uma parceria entre iguais.

 

Outro problema conjugal procedente da baixa auto-estima é que uma pessoa que se autodesvaloriza pode agir defensivamente e entender ações inocentes do cônjuge com ironias, insultos ou críticas contra ela. A própria pessoa acha que merece ser ironizada, insultada e criticada e lê essas coisas nos gestos, perguntas ou afirmações inocentes.

                 Se seu cônjuge sofre de baixa auto-estima, a resposta é encarar o problema e ajudá-la a lidar com a questão. Talvez ele precise ler um ou dois livros sobre o assunto; talvez necessite de aconselhamento profissional. Acima de tudo, porém, ele precisa de um cônjuge que o force a encarar o problema nesta área – alguém que exija que ele se torne independente e seja parceiro em igualdade de condições no relacionamento conjugal.  

Kevin Leman(O Sexo Começa na Cozinha, ed. Mundo Cristão).

Última modificação em Qua, 08 de Abril de 2009 05:43
ROBERTO DE ALBUQUERQUE CEZAR

ROBERTO DE ALBUQUERQUE CEZAR

E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Comente!



R. Luzia Simões Bartoline,100 - Aeroclube - João Pessoa - PB - CEP: 58036-630 - Fone: 3041-7471 - E-mail: cidadeviva@cidadeviva.org
Todos os direitos reservados - 2010© Cidade Viva - Cidade Criativa